Um galego no Império Pequeno

Além da linha inimiga

March 5th, 2015 at 7:04 pm

Análise após 6 meses em Gibraltar

Muito me mudou a vida no último ano, deixamos atrás a capital pequeno-imperial e nom paramos até chegar ao mar, já no extremo Sul do continente. Chegamos ao Campo de Gibraltar há seis meses sendo dous e, desde há treze dias, já somos três (quatro com o Gandalf).

Nova aventura e novos projectos em todos os aspectos, no plano profissional comecei a trabalhar numa empresa de apostas onde misturo inglês, português e espanhol de 9 a 5; o resto do tempo desfruto aprendendo isso de ser pai. Muitos dizem que aqui acaba a aventura, as viagens e o lazer, mas eu estou disposto a demonstrar o falso dessa premissa, pode-se seguir viajando, vivendo aventuras e desfrutando igual ou incluso mais do que antes. É umha nova etapa mas o essencial nom vai mudar.

12_Gib

Por que Gibraltar?

E por que nom? O nosso projecto consistia em viajar pelo mundo sobre duas rodas, mas a chegada da cativa mudou um bocado os planos iniciais. Longe de abandonar o nosso sonho o que fizemos foi repensá-lo e modificá-lo para encaixar com a nova situaçom, em lugar de morar na estrada iremos buscando trabalho e movendo o nosso ninho como nómadas cada tanto e conhecendo novos lugares em maior profundidade.

Nom tinhamos um objectivo fixo como primeira parada e Gibraltar apareceu no caminho, após meio ano já aqui a experiência está a ser muito positiva: o meu inglês está a melhorar a passos de gigante, estou ganhando habilidades que me seram muito úteis para poder trabalhar em outros países e estamos a conhecer a gente muito interessante. Nom deixamos de explorar esta zona (a aquém e além do Estreito) que nos está a surpreender muito agradavelmente.

Que virá depois?

Pois nom o sei, pelo de agora ainda tenho muito por fazer aqui e pretendo estar mínimo um ano para ver o lugar em todas as estações e para marcar alguns elementos na minha lista de cousas a fazer antes de morrer :).

Tags:
comments Comments Off on Análise após 6 meses em Gibraltar    -
August 30th, 2012 at 8:09 pm

Estou pronto

in: Running


Ver 30/08/2012 19h45 en un mapa más grande

Tags:
comments Comments (2)    -
June 14th, 2012 at 11:21 am

Thrive With Less

Tags:
comments Comments Off on Thrive With Less    -
April 13th, 2012 at 4:46 pm

Free the Network – O anseio dumha Internet livre

Tags: ,
comments Comments Off on Free the Network – O anseio dumha Internet livre    -
March 17th, 2012 at 6:56 pm

Não posso correr

in: Running

Sigo luitando com a tendinite, já nom dói  mas ao correr voltam as moléstias e, ainda que posso correr, nom vou cómodo e tenho medo de fazer mais grave a lessom . Ademais estou mui baixo de ânimo porque vejo que nom vou poder estar o 15 de Abril na linha de saída da Corunha.

 

Visitarei ao fisioterapeuta e seguirei a exercitar com bicicleta e a ver o que acontece de aqui a uns dias.

comments Comments Off on Não posso correr    -
March 9th, 2012 at 1:47 pm

Primeira lesão

in: Running

Ao final tenho umha ligeira tendinite no tendão de Aquiles da perna direita, nada grave mas tenho que estar em repouso de sete a dez dias e tomando anti-inflamatórios, o que significa voltar aos treinos com menos dum mês para a carreira.

E todo por nom respeitar os descansos e fazer mais quilómetros dos que devia os dias de tiradas curtas, agora a respeitar o repouso e nom fazer mais o cavalo, que pior que nom acabar a maratona é nem poder começá-la.

Tags: , ,
comments Comments (1)    -
March 1st, 2012 at 3:06 pm

Primeiro treino com mochila

in: Running

Ontem tinha previsto fazer um treino de bastantes quilómetros e decidim levar umha mochila de hidratação, esta além de levar auga para beber entanto corro, permite-me carrejar o telemóvel com o GPS para as minhas rotas e o abono do transporte público, por se me invade o esgotamento e nom tenho forças para voltar à casa.

Depois de ver muitas de todos os estilos e preços optei por umha das mais baratas, já que nom é algo que vaia utilizar de cote, só em treinos longos. Buscava algo leve, cómodo e com espaço para guardar um par de cousas. Ademais serve para os meus passeios em bicicleta e, sacando-lhe a bolsa de auga, como pequena mochila para passeios e competições curtas (5 ou 10 quilómetros) onde nom me queira separar das minhas cousas: chaves, telemóvel, algumhas moedas…

Ao final apenas passei dos 17 quilómetros porque sentia as penas pessadas, nom sei se pelo quilo e meio que levava de mais ou pelo dia mas serviu de prova para a mochila, ao princípio é umha sensação rara pelo ruído da auga na bolsa e as cremalheiras a bater mas logo te afazes, o mais difícil acho que é o carregar mais de 1 Kg extra nas costas.

Eis o treino de ontem:


View 29/02/12 17:33 in a larger map

Tags: ,
comments Comments Off on Primeiro treino com mochila    -
February 28th, 2012 at 2:49 pm

Além dos meus límites

in: Running

Era dia de descanso segundo o plano de treinamento que tomei emprestado, mas tinha ganhas de fazer uns quilómetros, realmente devecia por calçar os ténis e botar a correr.

Mália todo sei controlar-me e começo de vagar, a um ritmo suave ainda que constante vão caindo os quilómetros e esses primeiros minutos que tanto me custam normalmente nom se me fazem duros, pela contra vou desfrutando do caminho. Até risco metros percorrendo pequenos caminhos, afastando-me da via principal e voltando a esta de novo. A temperatura é perfeita e as pernas nom se queixam, a minha respiração nom é forçada e até sinto que posso ir mais rápido, mas mantenho o ritmo.

Algo que me está a surpreender é a capacidade que estão a ter as minhas pernas para absorver a quilometragem sem se queixarem. Sigo a defender que os estiramentos antes do exercício nom servem para nada, nom assim depois, por muito que mo discuta o meu amigo Santi. Ao final suponho que mal nom lhe vai fazer ainda que nom lhe faça nada, a ele vai-lhe bem à sua maneira e a mim à minha.

Saber reservar-se é umha das chaves nas carreiras de longa distância, ao princípio vas bem e com forças, as pernas nom pesam e tens a tentação de aumentar a velocidade para ir descontando quilómetros e fazer um melhor tempo, mas de um momento para outro ficas sem fôlegos e queres até abandonar.

Passo o Zoo e viro à esquerda sobre a ponte recreando-me nas trilhas, estes meus ténis nom estão feitos para correr pelo monte mas vam mui bem nos caminhos de terra. Volto ao asfalto e enfio cara o caminho dos castinheiros onde coincido com umha moreia de corredores e ciclistas, caminho habitual que leva direitinho ao Lago. É um gosto correr à beira da auga, a frescura do ar e o cheiro nom são os do mar mas agradecem-se e fazem mais leve a corrida. Percorro parte da ribeira e sigo o sinal rotulado com “Príncipe Pío”; este é um novo caminho para mim que, segundo estivem a ver no mapa, nom é mui longo e chega ao rio Manzanares justo na entrada do “Campo del Moro”. Pequena baixada na que quase são atropelado por um ciclista que ia a todo filispim, avanço e já visualizo a novo passeio que fizeram na beira do rio. Desfruto do momento porque nunca tão longe chegara nos treinos anteriores, estou em pleno centro da cidade; cruzo o rio,  subo a costa até a Glorieta de San Vicente, baixo-a outra vez, percorro uns metros ao longo do rio até atopar outra ponte e volto ao margem oeste para buscar o caminho de volta ao Lago.


View 27/02/12 in a larger map

Agora falta rodear o lago inteiro e desfazer todo o caminho mas tento nom pensar nisso, simplesmente desfrutar do feito de correr. Porque agora desfruto correndo, é um desporto difícil ao princípio porque a cabeça pode mais que o corpo e sempre pede parar, no início só sofres e cada minuto correndo é como um castigo; mas quando podes passar bem da meia hora já é outra cousa. Por nom falarmos do calçado, eu sempre corria com qualquer sapatilha desportiva sem me preocupar muito, com que nom me manca-se estava bem, mas provai uns ténis de running e já nom ides querer correr com outra cousa mais na vida.

Remato a volta e vejo umha fonte: auga, isso é o que necessito. Abro a bilha e nada, obrigado Murphy! Há que seguir correndo.

Desfaço o percorrido pelos mesmos sítios que já passara, as pernas pesam mais nom tenho moléstias e vou sobrado de fôlegos. Chega o momento mais delicado com umha pendente mui pronunciada que subo de vagar para nom ficar esgotado mas sem parar, estou arriba; cem metros mais e estarei na ponte sobre a A5, quase onde comecei.

Feito, missão cumprida, mas sei que posso continuar e deixo-me levar pela ciclovia até o parque ao que decido dar umha volta completa e finalizar assim o treino de hoje. Em resumo foram 19,06 Km em 1h 52min, novo recorde pessoal.

E para acabar de melhorar o dia encontro-me com um novo contributo de 15£ ao chegar a casa.

Tags: ,
comments Comments Off on Além dos meus límites    -
February 23rd, 2012 at 10:11 pm

Aumentando distância

in: Running

Hoje foi dia de descanso para que o corpo vaia assimilando o treino feito nos dias anteriores mas ontem figem a distância mais longa até o de agora: 13,71 Km em 1:10:32. Irei aumentando esta distância semanalmente até chegar aos 32Km para depois ir baixando de novo e nom chegar canso ao dia da carreira. Podedes ver os detalhes do treino de ontem aqui.
 

Ver 22/02/12 17:47 num mapa maior
 
Amanhã descanso activo com algum exercício complementário como algo de bicicleta suave e abdominais, o sábado futebol e o domingo a correr um bocadinho aumentando velocidade.

O tema dos donativos está mui parado com só 10£ mas vou juntando voluntários, convenci ao meu melhor amigo para participar na carreira (ele na de 10Km) e fazer equipa na arrecadação para o projecto educativo na Arménia.

Tags: ,
comments Comments Off on Aumentando distância    -
February 22nd, 2012 at 12:40 pm

Os meus novos pés

in: Running

Já tenho os meus novos ténis, a minha Camarada Esposa não podia permitir que castigá-se mais às minhas articulações e antes de que começaram a se queixar agasalhou-me com umha maravilha chamada Acsis Gel Nimbus 13.

Ontem era dia de descanso mas nom o pude resistir e baixei a prová-las fazendo-lhes os seus primeiros 5 Km, a sensação não puido ser melhor,  são mui mui cómodas; também é certo que com as que tinha antes era como correr descalço.

Hoje toca umha tiradinha algo mais longa, 16 Km pelas trilhas da Casa de Campo a um ritmo baixo para ir aumentando distância, e o que falta até os 42195 metros!

E vós nom esqueçais contribuir: http://www.justgiving.com/choutos42

Tags: ,
comments Comments Off on Os meus novos pés    -